Construir no Tempo
Info

Construir no Tempo
ESTAR Editora
1999

Autores
Fátima Fernandes e Michele Cannatà

Designer
Miguel Neiva – Ícine Design

Editor
Jorge M. Rodrigues Ferreira

Edição
Fátima Fernandes e Michele Cannatà
ESTAR Editora

Depósito Legal
143763/99

ISBN
972-8095-67-8

Texto

O reconhecimento, por parte da Unesco, do centro histórico do Porto como Património da Humanidade, os processos de transformação urbana que ocorrem sempre com maior intensidade nesta área, a existência de uma cultura arquitectónica qualificada, testemunhada pela presença de várias escolas de arquitectura e sublinhada pela afirmação, no cenário internacional, de vários arquitectos formados no contexto da cidade, pareceram-nos elementos suficientes para propor a um vasto público um momento de reflexão sobre um tema e uma problemática que nunca deixou de ser actual.
Construir no construído, modificando as preexistências para dar continuidade às funções vitais do homem, é o tema geral e de base para falar da intervenção da Arquitectura na dinâmica urbana contemporânea.
Com este objectivo, a exposição, não pretendendo ser exaustiva, quer apresentar, através da obra de três arquitectos, a ampla gama de variantes arquitectónicas e espaciais que assume o tema da intervenção no construído, e sondar a complexa problemática das diferentes filosofias de actuação.
Mais do que afirmar teorias, os projectos dão as respostas arquitectónicas necessárias à continuidade da vida dos sítios, à intervenção através do restauro, reconstrução ou completamento de restos, ruínas e traçados das preexistências.
O resultado formal dos diferentes projectos apresentados é-nos secundário relativamente à filosofia de intervenção desenvolvida, da qual nos interessa visitar os percursos metodológicos e analisá-los do ponto de vista da arquitectura e da função desta na construção da cidade. Interessa-nos sublinhar este conceito, porque consideramos importante reconhecer à arquitectura a função que historicamente lhe compete, evitando a estéril polémica do uso desta ou daquela linguagem, que serviria apenas para desviar a discussão para os frágeis territórios do subjectivismo e da moda.
CF-Construir_no_tempo