Módulos Auto-Suficientes
Info

Localização: Matosinhos, Portugal
Data: 2003
Prémios:
Menção Honrosa no Prémio Internacional de Arquitectura Sustentável, pela Faculdade de Arquitectura de Ferrara
Menção Honrosa no concurso Habitação Singular, pelo Consejo Superior de los Colégios de Arquitectos de España (CSCAE)

Cliente: Exponor

Autores
Fátima Fernandes e Michele Cannatà

Equipa
Riccardo Cannatà
Dário Cannatà
Marta Lemos
Isabella Fera
Miguel Meirinhos
Cristina Neves
Nuno Castro
Cláudia Amorim

Fundações e Estruturas
Gop – João Maria Sobreira

Rede de Água e Esgotos
Gop – Raquel Fernandes

Instalações e Equipamentos Mecânicos
Get – Raul Bessa

Instalações Eléctricas
LIGHTPLAN – Fernando Silva

Créditos Fotográficos
Luís Ferreira Alves

Construtor
DST – Domingos da Silva Teixeira, S.A.
CAPA – Engenharia e Construções Metalomecânicas, S.A.

Texto

Os protótipos realizados por ocasião da Concreta 2003 para as empresas DST e CAPA, procuram responder a uma variedade de funções desenvolvendo uma tipologia de módulos que poderão dar resposta às funções de habitação temporária, observatório ambiental, posto de vigia contra incêndios, bar, quiosque e “praça virtual” ou elemento mínimo que reúne condições de comunicações através meios informáticos.
A intenção é produzir um módulo que é repetível e associável quase interminavelmente. É um módulo que tem a característica de ser funcionalmente mutável, capaz de construir condições urbanas a partir de formas associativas do elemento base, com autonomia absoluta de infra-estruturas (rede eléctrica, águas, saneamento e de construção). É um módulo pré-fabricado, capaz de dar resposta a todo o conforto com as qualidades acrescidas de perfeição e rigor da prefabricação, com recurso a processos e materiais de recuperação de energia, nomeadamente a utilização de painéis foto voltaicos, e a aplicação de tecnologias de ponta.
Este módulo destina-se, por excelência, a ser instalado em lugares que não permitem alterações profundas em termos construtivos e ambientais, por exemplo nos parques naturais, onde a construção é contrária ao princípio do parque, em praças já realizadas, em praias, praticamente em zonas onde não é possível, por vários motivos, ter acesso a infraestruturas.
Cada módulo tem como base as dimensões de 3,00 largura por 9,00 m de comprimento, com uma área de 27m2. Esta estrutura pretende ser previamente elaborada não oferecendo qualquer trabalho no sítio onde vai ser instalada, devendo ser transportada por um camião ou helicóptero.
Cada módulo ou contentor além de dar resposta a novas formas de apropriação do espaço, pretende ser aberto à utilização de novos materiais ou tecnologias, possibilitando maior controlo energético e utilizando as características de resistência e leveza que possam oferecer outros materiais.

INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS
O Projecto dos Módulos Auto-suficientes é constituído por:
- Sistema de produção de energia, através da instalação de painéis fotovoltaicos;
- Iluminação / EIB;
- Tomadas de uso gerais;
- Telefones / Informática;
- Intrusão e Detecção;
- Sistemas de protecção de pessoas.

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE ENERGIA, ATRAVÉS DA INSTALAÇÃO DE PAINÉIS FOTOVOLTÁICOS
A solução proposta é composta por 20 painéis SIEMENS / SHELL SM110-24V, totalizando 2.200W de potência instalada e uma produção média diária de 5.760kWh, 1 inversor híbrido SUNPOWER PV UP 3000 (permite ligação de gerador diesel), bloco de baterias EXIDE-CLASSIC OPzS Solar 660 de 660 Ah a 48V que permitirão uma autonomia de 3 dias, regulador de carga MORNINGSTAR, cablagem e sistema de montagem em alumínio (fixo).
Em termos da cobertura os painéis ocuparão uma área bruta de 17,5 m2 (1,316 x 0,660 x 20 ). No interior, o bloco de baterias ocupará 0,75 m2 (0,147 x 0,208 x 24), tendo de altura 0,405m e de peso cerca de 560kg, o inversor ocupará 0,10 m2 (0,330 x 0,250 x 1) e pesa cerca de 35kg.
A filosofia adoptada para o sistema de iluminação consiste na utilização de lâmpadas fluorescentes de baixo consumo.
O sistema de comando de iluminação é do tipo EIB, que permite:
Controlo (ligar / desligar, variar a intensidade) todas as luzes com um controle remoto ou a partir de controlos fixos.

REDE DE ÁGUA
O modulo é constituído por um W.C. e uma copa, alimentado autonomamente através de um depósito de água pré-fabricado e grupo hidropressor, localizado na área técnica.
O depósito, com um volume de 500 litros, foi dimensionado para fazer face a uma autonomia de abastecimento de três dias.
A produção de água quente ficará a cargo de um painel solar.

REDE DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS
Optou-se por uma rede de drenagem por vácuo, constituída por sanita a vácuo, tubagem a vácuo e central a vácuo. Os ramais individuais do lavatório, base de duche e pia, irão unir-se através da unidade de interface de vácuo, que através de válvulas de pressão, farão a descarga através da tubagem de vácuo à respectiva central. A sanita descarrega directamente na central de vácuo.

INSTALAÇÕES MECÂNICAS
Foram consideradas as três hipóteses seguintes, todas elas apoiadas por um painel fotovoltáico e respectiva bateria de acumulação, para produção de 2,3 KW de energia eléctrica para iluminação artificial e electrodomésticos:
HIPÓTESE 1
Apenas aquecimento das águas de consumo, por meio de um painel solar, apoiado por uma resistência eléctrica abastecida pelo painel fotovoltáico.
HIPÓTESE 2
Aquecimento das águas de consumo por meio de um painel solar apoiado por uma caldeira mural a gás propano, a qual produzirá também água quente a 90 ºC, para alimentar um radiador para aquecimento ambiente.
HIPÓTESE 3
Aquecimento das águas de consumo por meio de um painel solar apoiado por uma resistência eléctrica abastecida pelo painel fotovoltáico, e climatização ambiental por meio de uma unidade de climatização de expansão directa do tipo bomba de calor, abastecida electricamente pelo painel fotovoltáico.